Short Break na Escócia

Finalmente tinha chegado o grande dia para a nossa viagem à Escócia!

O país dos castelos foi o eleito para o Short Break devido à sua proximidade com Inglaterra, onde estou a viver. Aproveitei o feriado de Maio, que aqui se comemora à segunda-feira e não no dia 1, e tirei a sexta-feira. Assim, fiquei com 4 dias disponíveis para viajar. Escócia é logo aqui ao lado, óptimo para não fazer longas viagens e para a aproveitar o máximo do país.

De forma a aproveitar o máximo possível, o meu plano foi visitar 2 dias a bela capital escocesa, Edimburgo e depois ir conhecer as tão faladas paisagens das Highlands, especialmente conhecidas por causa do Loch Ness e o monstro que vive à anos neste lago.

Quinta-feira à noite, foi o dia escolhido para viajarmos para Edimburgo. Ao chegar ao aeroporto, o país recebeu-nos com o seu característico clima – chuva. Neste momento pensei – ainda bem que comprei um casaco à prova de água 🙂

Antes da viagem, andei semanas a planear o que iria visitar, estadias, transportes, tudo de forma a aproveitar o máximo possível e de forma económica. Na hora de escolher o transporte do aeroporto para o centro da cidade, fiz logo um desvio ao planeado – errado! Nunca o deveria ter feito.

Os transportes em Edimburgo têm um funcionamento um pouco especial. Para saberem mais vejam tudo aqui.

Tinha decidido que a melhor opção era apanhar o autocarro nº35, ao invés disso, decidimos apanhar o Airlink 100, porque a nossa Host da casa que ficamos alojados através do Airbnb disse que seria a melhor opção.

O autocarro demorou cerca de 30 minutos mas depois disso tivemos que apanhar outro para o nosso destino final. Neste segundo autocarro, tivemos o nosso primeiro contacto com um escocês de origem. Como podem imaginar, tivemos que perguntar mais do que uma vez para ele repetir as instruções. A pronúncia deles é difícil de entender mas ao mesmo tempo muito engraçada . Ao fim de várias tentativas lá compreendemos.

                Obrigada pelo esforço senhor condutor!! Muito simpático! 🙂

Ao chegar ao nosso alojamento, no qual pernoitamos duas noites, tivemos uma bela noite de sono, revigorante para no dia seguinte levantar bem cedinho.

Sexta-feira chegou e eu estava ansiosa para começar a explorar. Com chuva a acompanhar-nos, resolvemos começar com a visita que requer mais esforço físico. A visita ao Arthur’s Seat, uma das montanhas que tem uma vista deslumbrante sobre a cidade. Arthus’s Seat é o principal pico de um grupo de colinas e é de formação vulcânica, ficando integrado no Holyrood park.

Arthur's Seat
Arthur’s Seat visto do lado do Parlamento Escocês

Antes de começarmos a subida podemos vislumbrar o Palace of Holyroodhouse e o edifício do parlamento escocês.

Respirámos fundo e lá ganhamos força para subir a montanha. Na subida até ao pico, podemos observar o verde dos jardins que invade a cidade. É lindo! É uma cidade tão verde cheia de recantos bem verdinhos. No caminho, podemos encontrar também diversas chamadas de atenção para a possibilidade de derrocada de pedras – importante ser cuidadoso.

Panoramica Arthur's Seat
Vista panorâmica ao longo da subida

Apesar do perigo, existem inúmeras pessoas a percorrer aquela subida todos os dias. É óptimo poder respirar aquele ar puro, ver os passarinhos e toda aquela vegetação. Vale a pena o esforço físico, a paisagem é magnifica.

Ao fim de uma manhã animada no topo da montanha, lá fomos nós para um lugar mais seco e quentinho – National Museum of Scotland.

O museu da Escócia está localizado na parte velha da cidade de Edimburgo e é um dos principais museus do Reino Unido. A sua entrada é gratuita e engloba diversas áreas de conhecimento, desde geologia, a história natural, a ciência, arte, tecnologia, etc.

Depois de uma longa caminhada pelo museu e um merecido descanso no National Museum of Scotland, seguimos direcção para a rua principal da cidade – Royal Mile. Esta é sem dúvida a zona mais turística que se estende entre dois pontos históricos da cidade: a partir do Castelo de Edimburgo até a Abadia de Holyrood. Para além disto, é também o local mais comercial onde é possível encontrar inúmeros pubs, restaurantes e lojas que vendem desde whisky, a cachecóis com lã escocesa até os tão conhecidos Kilts escoceses.

Gaita de foles
Escocês com o típico Kilt a tocar Gaita de Foles.

Na Royal Mile existe também uma catedral imperdível, a St Giles Cathedral, ou Santo Santo Egídio que é o padroeiro da cidade. A entrada é gratuita mas não é permitido tirar fotografias, apenas com aquisição do permit que tem o valor de £2. No interior da catedral, que é lindíssima, existe uma ala designada de Thistle Chapel que é fenomenal de tão detalhada que é. O que mais me espantou nesta catedral foi os vitrais, as pinturas são tão definidas e tão detalhadas. Visita obrigatória.

Como a hora do almoço já tinha passado à muito e a fome estava a apertar decidimos escolher um pub para termos uma refeição mais em conta, e não podíamos ter escolhido melhor.

Na rua havia no ar um cheirinho delicioso vindo de um pub –The Ensign Ewart e resolvemos entrar. O pub era aconchegante, o staff muito simpático e a sopa de abóbora e coentros a melhor do mundo. Eu sei que parece estranho! Nós pedimos o menu que incluía uma sandwich (deliciosa) e a sopa do dia, que foi uma maravilha. Provavelmente, porque não estávamos a espera que a comida e especialmente a sopa fosse tão saborosa, tivemos uma surpresa muito positiva.

Almoço maravilha
Almoço delicioso no The Ensign Ewart

 

Com a barriguinha bem aconchegada de uma óptima refeição e de uma boa cerveja típica de Edimburgo seguimos em direcção ao Scottish National Gallery. A Galeria Nacional da Escócia está localizada na parte nova da cidade e possui a maior colecção de arte da Escócia. Este museu também tem entrada gratuita.

Scottish National Gallery
Scottish Nationa Gallery

Com o encerramento da galeria, fomos percorrer os Princes Street Gardens  até ao Scott Monument. Este é do estilo Gótico Victoriano, sendo o maior monumento do mundo dedicado a um escritor , neste caso a um escritor escocês – Sir Walter Scott. Esta é uma das maiores atracções em Edimburgo.

Scott Monument
Scott Monument

A última atracção do dia foi a tão famosa Calton Hill que nos oferece uma vista privilegiada sobre a a cidade. Podemos visualizar o Arthur’s Seat bem com as colinas ao longe cheias de neve, o que nos fazer recear os planos que tinhas para os dias seguintes (tudo na segunda parte do Short break na Escócia).

Em Calton Hill é possível encontrar um canhão português (um bocadinho de nós em todo lado), o National Monument of Scotland, o Nelson Monument e Dugald Stewart Monument.

Esta colina está incluída no local designado pela Unesco com Património Mundial do qual faz parte a cidade velha em que foi preservado o seu plano medieval e muitos dos seus edifícios.

 

No fim do dia, o local escolhido para jantar foi mais uma vez um pub, à boa maneira britânica. Fomos ao Jeremiah’s Taproom e jantamos um óptimo hambúrguer acompanhado de uma bela cerveja típica.

Jantar

Na segunda parte do nosso Short Break na Escócia vou vos contar as nossas aventuras nos Highlands. Fiquem atentos!

Resumo do plano da 1ª parte do trajecto:

  • Arthur’s Seat
  • National Museum of Scotland.
  • Royal Mile
  • St Giles Chathedral
  • Scottish National Gallery
  • Scott Monument
  • Calton Hill: National Monument of Scotlan |Nelson Monument | Dugald Stewart Monument

 

*Todas as fotografias deste artigo são da autoria da blogger.
Anúncios

One thought on “Short Break na Escócia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s